19 outubro, 2007

Torre de Papel


Trancafiei-me ao léu
na Torre de Papel,
de enganos e ilusões.
Por amor cego quase fui pro beleléu...

Numa dessas noites escuras,
quando prostada de dor,
um olhar amigo me atraiu.

E vislumbrada pelo ensejo fugaz
daquela calma,
dançava embriagada
tropeçando na paz.

Doce olhar,
doce atração.
Dançam os olhos,
aquecem-se as mãos.

Desejo,
simples e fluido...
nos olhos,no corpo...
e então?
Terei salvação?

Amigo, meu amado!
Príncipe encantado?
Ah, quem dera fôsseis um simples sapo
pois eu te ganharia no papo.

Mas a tua beleza inteira
de corpo e alma (verdadeira)
que me encanta e atrai
atrai também as outras moças
e isso me distrai.

No instante em que me olhas
o meu útero contrai
e todo meu ser quer te conceber.

Mais e mais te quero
perto,
do teu amor estou
sedento,
mas como amigo
eu não contento!
Ah! Eu não agüento!

Homem, "Só por Hoje",
quero ser tua Mulher!

2 comentários:

Psiquê disse...

Só por hoje=lema diário...

Flávia Renata disse...

Nossa, como é forte isso. Puxa! É menina... Siga em frente e enfrente.
Beijos!